Anunciamos investimento de R$ 5 bilhões em ampliações, modernizações, logística e novos negócios no Brasil

Programa inclui investimento de R$ 300 milhões para construção de nova moagem em nossa fábrica de Salto de Pirapora (SP), que vai adicionar 1 milhão de toneladas de cimento por ano à nossa capacidade de produção a partir de 2025 

O investimento de R$ 5 bilhões inclui um programa abrangente de crescimento e competitividade estrutural das nossas operações no Brasil, dos quais R$ 1,5 bilhão já está em execução.  

O programa contempla as nossas operações em todas as regiões do país, com investimentos estruturantes para elevar a nossa competitividade, a capacidade de coprocessamento e reduzir de forma significativa as nossas emissões de CO2. Com esses investimentos, iremos adicionar mais 3 milhões de toneladas/ano de cimento à nossa capacidade de produção no Brasil.

A iniciativa inclui o investimento de R$ 300 milhões na ampliação da capacidade de produção da nossa fábrica de Salto de Pirapora, em São Paulo. A construção de uma nova moagem de cimento vai adicionar 1 milhão de toneladas por ano à capacidade de produção da unidade. Assim, em conjunto com a nossa fábrica de Santa Helena, em Votorantim, teremos nossa capacidade de produção expandida em cerca de 20%.  

“A ampliação da nossa fábrica de Salto de Pirapora segue a estratégia da nossa companhia e faz parte de um amplo plano de investimentos em andamento, com objetivo de reforçar nosso posicionamento de mercado, elevar nossa competitividade e avançar na modernização de nossas unidades, fortalecendo, inclusive, nossa agenda de descarbonização. Seguimos comprometidos e preparados para atender a demanda do mercado do estado de São Paulo e da região Sudeste, gerando emprego, renda e contribuindo para o desenvolvimento da região e do país”, afirma o nosso CEO global, Osvaldo Ayres Filho.  

  

Programa abrangente de competitividade estrutural 

O projeto de expansão e modernização da nossa unidade contempla os mais modernos conceitos de eficiência minerária, energética e automação industrial, com a aquisição de equipamentos de última geração. 

“Somente no complexo Salto-Santa Helena teremos investido mais de R$ 800 milhões quando finalizarmos a expansão de nossa capacidade de moagem, que trará um ganho significativo em nossa competitividade, reforçando o nosso posicionamento como uma das operações mais eficientes no Brasil”, diz Ayres.  

O plano de investimentos inclui também a área de logística, com automação, novos pontos de distribuição e intensa aplicação de inteligência artificial, bem como a aceleração de novos negócios como Motz (nosso negócio logtech e transportadora digital), Verdera (nosso negócio de gestão de resíduos e coprocessamento) e Viter (nosso negócio de soluções agrícolas). 

Nosso CEO destaca ainda que a nossa posição financeira sólida, com baixo endividamento e perfil de dívida alongado, dá flexibilidade para cadenciar esses investimentos à medida que os projetos vão amadurecendo, sem abrir mão da disciplina de alocação de capital e saúde financeira. 

“Sob a ótica financeira, o investimento de expansão em operações já existentes (conhecidos como brownfield, em inglês) maximiza nossa alavancagem operacional e nos permite obter retornos mais atrativos com um perfil de risco mais controlado”, completa Ayres. 

Recentemente, e também como parte desse plano, anunciamos a elaboração de um PPA (Contrato de Aquisição de Energia Elétrica, na sigla em inglês) pelo prazo de 15 anos que irá fornecer 100 MW médios de energia solar a partir de 2026. Leia a notícia completa aqui.

O início das obras está previsto para o primeiro semestre deste ano, com expectativa de conclusão para o segundo semestre de 2025.