26.05.2021 Institucional

Utilizamos IA que prevê a resistência do cimento

Sistema inédito permite ações preventivas ao concluir, em três dias, teste de resistência à compressão que antes levava 28 dias e aumenta eficiência dos nossos laboratórios.

 

Desenvolvemos e implementamos um sistema de inteligência artificial que prevê a resistência final do cimento. Os ensaios de resistência à compressão aos 28 dias são obrigatórios pela norma brasileira porque indicam a resistência à compressão do cimento 28 dias após a sua aplicação e, naturalmente, demoram o mesmo período para serem concluídos. Com a implantação do sistema de inteligência artificial inédito, é possível saber  ̶  em apenas três dias  ̶   o resultado que antes levava 28 dias, permitindo que façamos correções preventivas em eventuais desvios de resistência do cimento, eliminando ou reduzindo eventuais problemas do concreto.

A tecnologia já é utilizada em 27 laboratórios localizados nas nossas fábricas de cimento no Brasil e na Turquia. Os resultados futuros do teste são calculados a partir de dados confiáveis, combinados com recursos matemáticos e estatísticos. O nosso novo sistema utiliza o modelo preditivo, que é um campo da inteligência artificial conhecida como aprendizado de máquina (do inglês “machine learning”). O sistema foi desenvolvido a partir de uma base de dados com os resultados reais dos testes dos cimentos realizados entre 2017 e 2019. A inteligência artificial usou essas informações e dados de composição física e mineral para criar padrões para prever os resultados da resistência do cimento. Os ensaios de resistência à compressão requeridos pela norma brasileira também continuam a ser realizados na forma tradicional e comprovam os resultados previstos pelo novo sistema, apresentando uma eficiência de 99%.

“A resistência de compressão do cimento é um dado técnico de extrema importância, pois impacta diretamente o concreto e a execução das obras dos nossos clientes. Se conseguirmos prever antecipadamente algum desvio de resistência, podemos atuar de maneira rápida na correção, evitando ou reduzindo eventuais problemas, afirma a nossa consultora de Pesquisa & Desenvolvimento, Gabriela Leon.

O novo sistema de inteligência artificial também permitiu a predição da eficiência técnica – este é um importante e único parâmetro que mede o desempenho do cimento no concreto e permite avaliar a performance do produto pelo ponto de vista do cliente. A eficiência técnica dos nossos cimentos é determinada por um ensaio prático que foi desenvolvido pela nossa equipe de Pesquisa & Desenvolvimento. Como o ensaio de eficiência técnica não é requerido pelas normas brasileiras e é relativamente demorado, as unidades industriais o realizavam apenas uma ou duas vezes por semana, e somente para os cimentos vendidos a granel. A implementação do ensaio de eficiência técnica a partir do sistema de inteligência artificial trouxe mais subsídios e rapidez na avaliação da qualidade do cimento produzido em todas as nossas fábricas.

O uso da inteligência artificial e a implementação do modelo preditivo aumentou a eficiência dos laboratórios das nossas fábricas no Brasil, permitindo a redução de 119 horas por mês dedicadas à realização dos ensaios, ao mesmo tempo em que aumentou em mais de 200% o número de resultados disponíveis. Tudo isso se traduz em agilidade na tratativa de problemas de qualidade e satisfação dos clientes.

“Nós, da Votorantim Cimentos, queremos pavimentar o futuro da construção civil de forma simples, ágil e sustentável, fortalecendo o protagonismo no canteiro de obras, trabalhando para ser a primeira escolha do varejo e nos consolidando como referência em sustentabilidade na cadeia de valor.  Por isso, olhamos para nossos projetos em Pesquisa & Desenvolvimento como iniciativas de curto, médio e longo prazos para alavancar inovações no setor. Muitas iniciativas têm como finalidade otimizar processos internos que têm impacto no desempenho dos nossos produtos, como essas que envolvem o uso de inteligência artificial para o desenvolvimento de aplicativos e modelos preditivos. Além disso, a partir dos modelos para predição das propriedades dos cimentos, já criamos outros para uso em nossas argamassas e concretos”, afirma a nossa gerente geral de Pesquisa & Desenvolvimento, Silvia Vieira.

Últimas Notícias

17 de nossos parceiros foram reconhecidos na nova edição do Prêmio Parceiro VC   Celebramos neste mês mais uma edição do Programa Parceiro VC, o......
Somos destaque da edição 2022 do Prêmio Exame Melhores do ESG   É com muito orgulho que recebemos o Prêmio Exame Melhores do ESG, sendo......
Nossa plataforma VC Connect busca novas soluções e tecnologias em concreto leve e parede de concreto. As inscrições estão abertas até 1 de julho. Lançamos......