08.04.2021 Institucional

Divulgamos os nossos resultados financeiros de 2020

 

  • Nosso EBITDA ajustado foi de R$ 3,8 bilhões, aumento de 43% sobre o ano anterior e sua margem alcançou 22,9% no período, crescimento de 2,4 p.p sobre 2019;
  • A alavancagem, medida pela relação dívida líquida/EBITDA, caiu para 1,96 vez, o melhor resultado nos últimos dez anos;
  • Em novembro, anunciamos a expansão da Cementos Artigas, no Uruguai, operação em sociedade com a espanhola Cementos Molins;
  • Em dezembro, juntos da Caisse de dépôt et placement du Québec (CDPQ) anunciamos a combinação de nossos negócios para fabricar, distribuir e vender cimento no Canadá e nos Estados Unidos;
  • Reforçamos as práticas ESG com o lançamento dos nossos Compromissos de Sustentabilidade para 2030.

 

Encerramos 2020 com receita líquida global de R$ 16,7 bilhões, aumento de 29% em relação a 2019, explicada principalmente pelo aumento do volume de vendas no Brasil, no Canadá e nos Estados Unidos, e pelo impacto positivo da desvalorização do real no balanço das demais regiões. O EBITDA (sigla em inglês para lucro antes dos juros, impostos, depreciações e amortizações) ajustado consolidado atingiu R$ 3,8 bilhões, crescimento de 43% frente ao ano anterior, com margem EBITDA de 22,9%, aumento de 2,4 pontos percentuais em relação a 2019. Terminamos o ano com alavancagem, medida pela relação dívida líquida/EBITDA, de 1,96 vez, o melhor resultado nos últimos dez anos.

Em 2020, vendemos 32,4 milhões de toneladas de cimento nos países onde temos operações – Brasil, Bolívia, Canadá, Espanha, Estados Unidos, Marrocos, Tunísia, Turquia e Uruguai –, correspondendo a um aumento de 8% em relação ao volume comercializado no ano anterior.

“O ano passado foi extremamente desafiador em função da pandemia e dos seus impactos em todo o planeta. Implantamos um plano de contingências para proteger a vida das pessoas e preservar as operações. Isso nos permitiu responder com agilidade tanto no Brasil quanto nos demais mercados em que temos operações, encerrando o ano com aumento de vendas, crescimento de geração caixa e a menor alavancagem dos últimos dez anos”, afirma o nosso CFO global, Osvaldo Ayres Filho.

Registramos lucro líquido no exercício de R$ 437,5 milhões, uma redução de 20% em relação ao ano anterior, explicado principalmente em função de ganhos não recorrentes ocorridos em 2019 com a exclusão do ICMS da base de cálculo do PIS/Cofins e do impairment das operações da Turquia e da Bolívia, sem efeito caixa, realizado em 2020.

Em linha com a nossa estratégia de expansão, em novembro de 2020, a Cementos Artigas, empreendimento nosso em conjunto da companhia espanhola Cementos Molins, iniciou um projeto de unificação das atividades industriais no Uruguai. Com investimento de US$ 40 milhões, a iniciativa envolve a integração das instalações industriais, que até então estavam divididas entre uma fábrica localizada em Montevidéu e uma planta principal situada na cidade de Minas, a 100 quilômetros da capital. As atuais operações de moagem e expedição de cimento da fábrica de Montevidéu serão realocadas para a fábrica de Minas, resultando em uma linha de produção unificada mais eficiente e sustentável, com início da operação em 2022. O projeto resultará em grandes avanços de competitividade e ganhos ambientais em função da eficiência das novas instalações e redução do consumo de energia elétrica em aproximadamente 40%.

Já em dezembro, anunciamos a combinação de negócios da nossa subsidiária integral, St Marys Cement Inc. (Canadá), com a McInnis Cement Inc. para fabricar, distribuir e vender cimento no Canadá e nos Estados Unidos. A entidade combinada será formada pela Votorantim Cimentos Internacional (VCI), plataforma de investimentos internacionais e nossa subsidiária integral, sendo a sétima maior produtora de cimento do mundo, e pela Caisse de dépôt et placement du Québec (CDPQ), investidor institucional de longo prazo, por meio de sua participação na McInnis Holding Limited Partnership (McInnis Holding). A VCI terá 83% de participação acionária e a CDPQ ficará com 17%. A conclusão da operação ainda está sujeita às aprovações de órgãos reguladores. Enquanto isso, continuamos a operar como negócios separados até o fechamento da transação.

Ainda sobre expansão, o cronograma das obras de ampliação da fábrica em Pecém (CE) foi alterado com a paralisação em março de 2020 devido ao cenário da pandemia do novo coronavírus e retomada em setembro. O projeto de expansão vai aumentar em 800 mil toneladas/ano a capacidade de moagem de cimento da unidade, atualmente de 200 mil toneladas/ano. Após a conclusão, a fábrica de Pecém passará a ter uma capacidade de produção total de 1 milhão de toneladas/ano de cimento, aumentando a eficiência e a capacidade de distribuição dos produtos. A conclusão das obras está prevista para o primeiro semestre de 2021.

Reforçando nossas práticas ESG, divulgamos, em novembro, os nossos Compromissos de Sustentabilidade para 2030. As metas têm o objetivo de alinhar toda a nossa operação mundial às demandas atuais e futuras da sociedade, gerando impacto positivo em toda a nossa cadeia e nas comunidades em que atuamos. Os compromissos são divididos em sete pilares: ética e integridade; saúde, segurança e bem-estar; diversidade e inclusão; inovação, pegada ambiental; economia circular e valor compartilhado.

 

Resultado no Brasil (VCBR)

No Brasil, a venda de cimento teve um aumento de 11% em 2020, segundo o Sindicato Nacional da Indústria de Cimento (SNIC), o que impulsionou também a recuperação de preços no mercado local. O crescimento foi motivado pela mudança no perfil do consumo do país durante a pandemia, com aumento das obras civis, pelo auxílio emergencial fornecido pelo governo federal e pelos juros baixos que refletiram também na retomada no mercado imobiliário. No país, alcançamos receita líquida de R$ 7,9 bilhões em 2020, crescimento de 23% em relação a 2019. O EBITDA ajustado cresceu 47%, para R$ 1,6 bilhão.

 

Resultado na América do Norte (VCNA)

Na América do Norte, a nossa receita líquida atingiu R$ 5,4 bilhões no ano passado, crescimento de 43% em relação a 2019. O EBITDA ajustado da região foi de R$ 1,5 bilhão em 2020, crescimento de 43%. O resultado positivo na América do Norte deve-se, principalmente, ao efeito de conversão cambial, aos melhores volumes no Canadá no segundo trimestre, ao sólido volume nos Estados Unidos e ao inverno mais ameno no início do ano.

 

Resultado na Europa, Ásia e África (VCEAA)

Na Europa, Ásia e África, alcançamos a receita líquida de R$ 2,6 bilhões em 2020, crescimento de 22% em relação ao ano anterior. A região foi a mais impactada pela pandemia do novo coronavírus, com tempo e intensidade distintos, retomando a performance operacional ao longo do ano. O EBITDA ajustado na região foi de R$ 528 milhões, crescimento de 21% em relação ao exercício anterior, fortemente impactado pela desvalorização do real.

 

Resultados na América Latina (VCLATAM)

Na América Latina e demais regiões, nossa receita líquida foi de R$ 823 milhões em 2020, crescimento de 25% em comparação com 2019. O EBITDA ajustado de 2020 foi de R$ 233 milhões, avançando 98%. O crescimento foi devido ao forte volume de vendas no Uruguai, que foi parcialmente compensado pelo mercado desafiador enfrentado na Bolívia, tanto pela pandemia do coronavírus quanto por desafios macroeconômicos locais.

Últimas Notícias

Nós, da Votorantim Cimentos, como líderes da indústria de cimento no Brasil e com presença em outros dez países, em cinco continentes, estamos realizando diversas......
Nossa plataforma VC Connect busca soluções para temas estratégicos no mercado da construção civil. Quer participar? Inscrições até o dia 16 de dezembro.   Estamos......
Transação inclui uma fábrica de cimento em Málaga com capacidade instalada de 1,4 milhão de toneladas/ano, três minerações de agregados e 11 usinas de concreto......