17.05.2019

Nossos resultados do primeiro trimestre de 2019

    • Receita líquida global no período foi de R$ 2,5 bilhões, crescimento de 5% sobre 1T18
    • EBITDA ajustado foi de R$ 586 milhões, aumento de 174% sobre o mesmo período do ano passado
    • Margem EBITDA no primeiro trimestre de 2019 foi de 23%
    • Alavancagem da companhia, medida pela relação da dívida líquida/EBITDA ajustado, foi de 3,1 vezes, redução de 0,5 vez na comparação com o final de 2018

Registramos resultados positivos no primeiro trimestre de 2019, impactados pelo desempenho das operações no Brasil e na América Latina, combinados com o efeito positivo da depreciação do real frente ao dólar e ao euro na consolidação das operações no exterior. Nos três primeiros meses deste ano, a nossa receita líquida global totalizou R$ 2,5 bilhões, um aumento de 5% em relação ao primeiro trimestre de 2018.

A alavancagem da companhia, medida pelo índice da dívida líquida/EBITDA ajustado, foi de 3,1 vezes, uma redução de 0,5 vez quando comparado ao final de 2018. A redução da alavancagem é resultado de melhores resultados operacionais, do impacto positivo do aporte de capital realizado pela controladora e à redução da dívida bruta. Em janeiro de 2019, a controladora Votorantim S.A. realizou um aporte de R$ 2 bilhões na Votorantim Cimentos, que foram utilizados para pagamento de dívidas.

O EBITDA ajustado consolidado atingiu R$ 586 milhões no 1T19, um aumento de 174%, com margem de 23%. O crescimento mais significativo foi da operação no Brasil, que apresentou um EBITDA ajustado de R$ 509 milhões quando comparado aos R$ 112 milhões registrados no 1T18, devido ao maior resultado operacional no país e efeitos de impactos não recorrentes. A receita líquida no Brasil aumentou 3%, passando de R$ 1,49 bilhão no 1T18 para R$ 1,53 bilhão no 1T19, principalmente em função da evolução positiva do mercado nacional.

“O primeiro trimestre no setor é tradicionalmente impactado pela sazonalidade devido ao frio no Hemisfério Norte e o período de chuvas no Brasil. Ainda assim, registramos um resultado positivo, com aumento da receita líquida e redução da alavancagem. Além disso, a Votorantim Cimentos conquistou o rating de grau de investimento da Standard & Poors e upgrade da Moody´s com outlook positivo, que reforçam e valorizam a nossa estratégia de disciplina financeira”, afirma o nosso CFO global, Osvaldo Ayres Filho.

Em março de 2019, a S&P Global Ratings elevou os nossos ratings para BBB – em escala global – e, em abril de 2019, a Moody´s elevou o nosso rating para Ba1 (um abaixo do grau de investimento), com outlook positivo. Com a atualização, passamos a ser uma empresa de grau de investimento por duas das três principais agências de classificação, S&P e Fitch. Também em março, concluímos a aquisição da United Materials LLC, empresa que atua nos segmentos de concreto, agregados (areia, pedra e brita) e materiais de construção nos Estados Unidos. Em abril de 2019, foi concluída a venda de operações na Índia. Recebemos mais de 20 milhões de euros com a conclusão da transação e o recurso da venda será usado para o pagamento antecipado de dívida.

Últimas Notícias

17.09.2019
Apresentamos ao mercado a Verdera, a nova marca da unidade de negócios de coprocessamento. Com o lançamento, a Verdera passará a oferecer a empresas e......
21.08.2019
Nós, da Votorantim Cimentos, mais uma vez fomos vencedores na 28ª edição do Prêmio Anamaco- Associação Nacional dos Comerciantes de Material de Construção, que reconheceu......
15.08.2019
Obtivemos lucro líquido global de R$ 134 milhões no segundo trimestre de 2019, revertendo prejuízo de R$ 2,2 milhões registrado no mesmo período do ano......