Microalgas na captura de carbono

Você já deve ter ouvido falar sobre o dióxido de carbono ou CO². Embora seja essencial para a vida na terra, o excesso de concentração deste gás contribui para o efeito estufa e pode levar a outros efeitos desagradáveis no meio ambiente, como poluição do ar, chuva ácida, entre outros problemas.

As fábricas são um dos responsáveis pelo excesso desse CO² em nosso planeta. É por isso que sempre buscamos novas formas de construir um futuro mais sustentável. Uma das nossas iniciativas para a captura e sequestro de carbono é realizada na St. Marys Cement, em nossa unidade no Canadá. Além de inovador, o projeto apresenta baixo custo e menor necessidade de espaço físico, quando comparado a outros estudos.

Trata-se de uma biorrefinaria de algas, que utiliza um fotobiorreator de 25 mil litros para reciclar CO2 e outras emissões industriais por meio de fotossíntese. As emissões dos fornos da nossa fábrica são canalizadas para o fotobiorreator, em que algas de crescimento rápido consomem os gases, absorvendo cerca de duas toneladas de CO2 para cada tonelada de biomassa que produzem. O que era um resíduo, que chamamos de biomassa, passa a ser um novo recurso, aproveitado como matéria-prima para a produção de ração animal e fertilizantes ou fonte de energia para fornos industriais.

O projeto dá certo porque as algas escolhidas são consideradas super consumidoras de CO². O primeiro biorreator já foi instalado em uma sede da VCNA e o próximo está previsto para ser implementado ainda este ano na unidade da empresa em Bowmanville (Canadá).

Em 2016 o projeto foi um dos 27 finalistas da competição Carbono XPRIZE NRG COSIA, um conceituado prêmio de inovação tecnológica liderado pela Fundação X-Prize, do Canadá, que incentiva descobrimentos e avanços para transformar as emissões de CO2 em produtos úteis.

O projeto é uma parceria público-privada de ampla colaboração entre cientistas de tecnologia limpa, o governo canadense e os especialistas em sustentabilidade da St. Marys Cement. As tecnologias exclusivas que impulsionam o projeto vêm da Pond Technologies, uma empresa de produção de algas com sede em Markham, Ontário. Recursos e suporte técnico também vêm do Conselho Nacional de Pesquisa do Canadá (NRC), por meio do Programa de Conversão de Carbono de Algas.

Alinhada com o nosso propósito de que a vida é feita para durar, a St. Marys fornece o meio ambiente e as matérias-primas para ajudar a testar e promover essa tecnologia inovadora.

A indústria do futuro é, portanto, aquela que busca soluções sustentáveis para o planeta, para a sociedade atual e para as futuras gerações. Por essa razão, atuamos sempre com uma visão de longo prazo, priorizando processos cada vez mais limpos e produtos ambientalmente responsáveis.

Últimas Notícias

22.06.2021 Tunísia
Unidades de Recuperação de Calor Residual (Waste Heat Recovery, WHR) geram energia dentro das fábricas de cimento, por meio da recuperação e captura de parte......
13.05.2021 Brasil
Sabe quando encontramos uma solução que todos ganham, com impactos sociais, econômicos e ambientais? É isso que temos no projeto Fortalecimento da Cadeia Produtiva do......
13.05.2021 Brasil
Dos tecidos ao cimento: uma trajetória de inovação A origem da Votorantim muitas vezes é associada ao cimento, produto pelo qual somos mais conhecidos pelo......