Você sabe como uma cimenteira atua na recuperação de áreas?

O concreto é o produto mais consumido no planeta depois da água. Ele é resultado da mistura do cimento com água, areia e brita. Sua durabilidade e versatilidade permitem infinitas combinações na construção civil e é um item indispensável para o desenvolvimento da infraestrutura das cidades e para a vida humana.

O consumo de concreto tende aumentar em função do crescimento demográfico. Segundo a Organização das Nações Unidas (ONU), hoje 55% da população mundial vive em áreas urbanas e a expectativa é de que esta proporção aumente para 70% até 2050.

A produção do cimento começa na mineração com a extração mineral de jazidas de calcário e argila. Você sabe como realizamos a recuperação das áreas impactadas por essa atividade? As cimenteiras possuem obrigação legal de recuperar todo ecossistema em locais de mineração. A data para honrar com esse compromisso varia de acordo com o programa de recuperação de cada mina, que é licenciado por órgãos ambientais estaduais.

Temos como prática realizar o provisionamento de recursos e antecipar, quando possível, a recuperação de áreas já com exploração encerrada, o que resulta em ganho ambiental já no presente, de uma obrigação que seria necessária apenas no futuro. As ações de recuperação e encerramento de minas são sempre pautadas pelos Planos de Fechamento de Mina, documentos individuais de cada mina que consideram as melhores práticas ambientais, sociais e referências técnicas da área.

Caso Mina Bugre – Gostaria de dividir o trabalho de 8 anos que estamos realizando na Votorantim Cimentos, na Mina Bugre, na cidade de Vidal Ramos, em Santa Catarina. A Mina Bugre (confira vista área aqui) tem 36 hectares e já estamos atuando na recuperação de quase metade do local (16 hectares). O local possui um Depósito Controlado de Estéril (DCE), ou seja, estoca recursos minerais inertes que não são usados na fabricação de cimento.

Começamos a produção de cimento na cidade de Vidal Ramos em julho de 2011. A recuperação ambiental do DCE da Mina Bugre foi iniciada previamente – antes mesmo de atingirmos o volume final projetado de estocagem. Para simplificar o entendimento do que estamos fazendo no local, vou resumir os processos de recuperação desta área em três etapas:

1.   Primeiro cuidamos do solo – Precisamos assegurar que o solo tenha os nutrientes adequados para garantir a fertilidade das espécies vegetais que serão plantadas. Então, iniciamos este processo depositando o solo original que foi retirado do próprio local (e estocado) a partir do decapeamento da mina – que é o processo de abertura superficial da jazida.

 2.   Depois garantimos a manutenção genética – Após isso, plantamos no local em recuperação a vegetação nativa, característica da região (bioma). Para isso, realizamos uma coleta de sementes na floresta e produzimos mudas em viveiro que são plantadas no local.

 3.   Por fim, nos certificamos que a floresta vai “ficar de pé” – Nesses 8 anos, plantamos quase 90 mil mudas na Mina Bugre. São cerca de 10 mil mudas por ano. O plantio das mudas exige que a gente acompanhe de perto o desenvolvimento delas para repor aquelas que não se desenvolvem. A técnica do plantio exige um controle de insetos (principalmente formigas), o coroamento e a adubação Essa etapa demora cerca de 5 anos para ser finalizada – entre afloramento das mudas até obtermos a biodiversidade no local.

O trabalho de recuperação de áreas permite obtermos uma nova floresta secundária. Na imagem deste artigo, você confere uma foto de antes e depois da Mina Bugre.

Compromisso com o Meio Ambiente – Na Votorantim Cimentos vemos a sustentabilidade como uma jornada. Assumimos o compromisso de garantir, no ano de 2020, que todas nossas minas tivessem um plano de reabilitação e gestão de biodiversidade para regiões sensíveis. A meta foi atingida! 100% das minas em operação possuem plano de fechamento, além das minas em áreas sensíveis à biodiversidade, definidas em 2015, possuem plano de gestão da biodiversidade.

Para 2030, essa caminhada continua para reduzirmos nossa pegada ambiental. Assumimos o compromisso público de implementar as ações agendadas dos planos de gestão atuais e evoluir na implementação dos nossos planos de gestão hídrica e de biodiversidade em áreas sensíveis. Quer saber mais sobre nossos Compromissos 2030? Ouça este podcast.

– Regiane Velozo Dias é Gerente Global de Meio Ambiente na Votorantim Cimentos.