Saúde mental é uma responsabilidade coletiva

O cuidado com a saúde e o bem-estar dos empregados é uma prática cada vez mais incentivada por empresas que já estavam conscientes sobre o quanto as atividades físicas, de lazer e de recreação proporcionam benefícios às pessoas. Mas ainda que valorizadas, essas práticas muitas vezes eram estimuladas apenas em ocasiões específicas, e não abordavam a saúde mental. Com a pandemia da Covid-19, que modificou o comportamento de toda a sociedade, a saúde integral ganhou mais foco dentro das empresas. Isso significa corpo e mente saudáveis.

De um lado, a implementação de uma nova mecânica de trabalho abriu portas para se reinventar e desbravar outros meios de produção, mas de outro, essa mudança trouxe desconforto e inquietação em algumas pessoas, levando até mesmo à Fadiga Pandêmica. Este é fenômeno descrito pela Organização Mundial da Saúde (OMS) causado pela hipervigilância devido ao medo da doença e das várias mudanças impostas, em muitos casos, de forma repentina em um contexto bastante adverso.

Mas como lidar com esse cenário? O fato é que o estresse faz parte da vida dentro ou fora de uma empresa, porém evitar uma sobrecarga emocional que compromete a qualidade de vida é fundamental. Os modelos engessados de trabalho já não cabem mais nesse “novo mundo”. Isso significa que mesmo dispostas à transformação, as empresas não devem focar somente na modernização dos modelos de trabalho e da tecnologia. Também é importante que o jeito de fazer as coisas contemple os aspectos humanos.

É preciso fazer com que essas ações estejam entre os pilares que sustentam a cultura organizacional de uma companhia, proporcionando uma rede de apoio aos empregados, independentemente da área em que atuam ou nível hierárquico. Para empresas que já estavam atentas a essa necessidade, a pandemia acelerou o processo.

Como gerente de Medicina do Trabalho de uma grande indústria, foi possível observar, de forma bastante latente, o quanto os aspectos emocionais e psicológicos influenciam todas as nossas ações e decisões. E quando estamos em um ambiente onde nos sentimos acolhidos e há espaço para o diálogo, adquirimos mais segurança e confiança para encararmos os desafios, seja em qual âmbito for.

Para garantir o ambiente saudável que queremos, foi preciso olhar para a nossa rotina e reforçar ainda mais ações simples, mas que impactam de forma bastante positiva a vida das pessoas, como delimitar o tempo de reuniões, respeitar o horário de almoço, finais de semana, evitar agendamentos após às 18 horas e reforçando essa atenção também para o envio de e-mails e WhatsApp. O mundo tornou-se ainda mais virtual, mas estar on-line é diferente de estar sempre disponível, embora devemos gerir bem o nosso tempo para nos mantermos produtivos, sem nos esquecermos de cuidar de nós mesmos e de nossas famílias.

Um programa de apoio ao empregado, em que psicólogos do próprio time da empresa oferecem atendimento gratuito, por meio de ligação via 0800, 24 horas por dia, 7 dias por semana é um exemplo de como podemos cuidar da saúde integral. Os atendimentos são confidenciais e contam com outras áreas de apoio, como nutrição, finanças e pedagogia. Nos últimos dois anos, desde o início da pandemia, o programa registrou mais de 42 mil atendimentos – entre março de 2020 e fevereiro de 2022. Em 2021, houve um aumento de mais de 150% no número de ligações recebidas em relação a 2020, sendo que nos dois primeiros meses deste ano a quantidade de chamadas já é 25% superior em comparação ao mesmo período de 2021. Os índices comprovam a importância do serviço para os empregados e também para as suas famílias, que podem acessar o serviço sendo dependentes ou não de convênio de saúde.

Esse ano as datas comemorativas relacionadas à saúde mental também entraram nos programas corporativos. Rodas de conversas e terapias on-line, com psicólogos por meio de teleatendimento, de forma sigilosa e sem custo no convênio. Essas e outras medidas puderam ser compartilhadas na plataforma digital que mantém a empresa e todos os empregados conectados, apoiando e também dando respaldo para as boas práticas empreendidas por cada um, em equipe e até em casa para manter a mente sã em tempos desafiadores. Afinal, entendemos que cuidar da saúde mental é uma responsabilidade coletiva: sociedade, empresas e famílias.

A pandemia impôs o distanciamento social e reforçou que nada está separado, inclusive no que tange as emoções. Por isso, expor uma vulnerabilidade é mais do que demonstração de coragem; é uma disposição de empatia para unir-se ao próximo e buscar o fortalecimento e a superação conjunta. Ninguém está sozinho nessa empreitada. Olhando dessa forma, tornamos a nossa vida mais produtiva e leve, podendo colocar essa leveza em nossas mochilas para nos acompanhar em todos os lugares e, assim, viver de forma mais harmônica, antecipando até mesmo para esse presente, ainda que desafiador, o futuro que queremos viver.

Monyque Motta Carmona Gerbelli, nossa gerente de Medicina do Trabalho.