Até final de 2010, investimentos em 11 plantas de cimento e 5 unidades de argamassa permitirão aumentar capacidade de produção em 30%

São Paulo, 08 de Agosto de 2007 - A Votorantim Cimentos fará nos próximos três anos investimento recorde de R$ 1,660 bilhão para a instalação de novas fábricas, moagens, reativação e incremento de produção em plantas de cimento e argamassa em todo o País. A empresa vai aumentar em aproximadamente 30% sua capacidade de produção, que passará de 25 para 33 milhões de toneladas de cimento por ano no mercado brasileiro, visando manter sua liderança no País.

Este investimento terá impacto em várias regiões brasileiras, especialmente no Centro-Oeste, Norte e Nordeste do Brasil. Até final de 2010 todas as instalações estarão em operação. O plano de expansão contempla a construção de três novas fábricas integradas em Xambioá (TO), Baraúna (RN) e Vidal Ramos (SC); cinco novas moagens localizadas em Barcarena (PA), Pecém (CE), Aratu (BA), Sepetiba (RJ) e no litoral de Santa Catarina (em cidade a ser definida). Haverá a reativação da fábrica de Cocalzinho (GO) e a expansão da capacidade de moagem nas unidades Salto/Santa Helena, localizada em Votorantim (SP), e Nobres (MT). Adicionalmente, serão inauguradas cinco novas plantas de argamassas: em Pecém (CE), Aratu (BA), Goiânia (GO), Esteio (RS) e São Paulo (SP). A primeira unidade de cimento a entrar em operação será a de Barcarena (Pará), já em setembro deste ano.

"O projeto de expansão da produção da Votorantim Cimentos que contempla novas fábricas integradas e moagens, além da modernização de plantas já existentes no portfólio, está alinhado com a estratégia de manter o padrão histórico de crescimento do grupo e de acompanhar um novo ciclo de retomada do crescimento da construção civil no Brasil", afirma Walter Schalka, presidente da Votorantim Cimentos. A expansão também permite manter o nível de ociosidade estratégica nas unidades em torno de 30%, fator importante para atender a demanda sazonal característica da diversidade regional do País.

Este projeto refletirá na geração de cerca de 3.300 novos empregos diretos e indiretos na cadeia produtiva, além de aproximadamente 10 mil empregos no período de construção ou modernização das 16 unidades. As localidades para a implantação de novas fábricas e moagens foram estudadas para que a Votorantim Cimentos atenda às demandas crescentes dos principais mercados regionais e se aproxime do consumidor final. No caso das fábricas integradas (que incluem a atividade de mineração), a localização das jazidas de calcário torna-se determinante na definição das instalações das plantas.

"Este plano de expansão atende também a tendência de regionalização e descentralização do consumo de cimento no País, cujo atual processo de interiorização deverá se intensificar nos próximos anos", avalia Schalka. No âmbito internacional, o aumento de capacidade de produção sustentará o forte crescimento das exportações da empresa para os mercados da América do Norte, África e Caribe. Em 2008, a Votorantim prevê enviar para o exterior 2 milhões de toneladas – triplicando o volume exportado em 2006 (700 mil ton). Com este plano de investimentos a Votorantim Cimentos mantém a excelência nas áreas de fabricação, com produtos de alta qualidade; em logística, ao atender todo território nacional com a maior eficiência; e na estratégia comercial, com preços competitivos para o revendedor e atraente para o consumidor final.

Novas Unidades da Votorantim Cimentos

Construção de novas fábricas integradas (3)

Xambioá (Tocantins)
Matéria-prima: calcário minerado localmente
Mercado-alvo: Tocantins, Sudeste do Pará, Oeste do Maranhão e Sul do Piauí
Valor do investimento: R$ 300 milhões
Capacidade de produção: 1.000 milhão toneladas/ano
Empregos diretos e indiretos: 598
Início da operação: 2009

Baraúna (Rio Grande do Norte)
Matéria-prima: calcário minerado localmente
Mercado-alvo: Rio Grande do Norte, Oeste da Paraíba e leste do Ceará
Valor do investimento: R$ 300 milhões
Capacidade de produção: 1,5 milhão toneladas/ano
Empregos diretos e indiretos: 600
Início da operação: 2009

Vidal Ramos (Santa Catarina)
Matéria-prima: calcário minerado localmente
Mercado-alvo: Santa Catarina e Noroeste Rio Grande do Sul
Valor do investimento: R$ 360 milhões
Capacidade de produção: 1,3 milhão toneladas/ano
Empregos diretos e indiretos: 600
Início da operação: 2010

Novas Moagens (5)

Barcarena (Pará)
Matéria-prima: Clínquer e escória
Mercado-alvo: Norte do Pará e Amapá
Valor do investimento: R$ 40 milhões
Capacidade de produção: 460 mil toneladas/ano
Empregos diretos e indiretos: 180
Início da operação: Setembro 2007

Pecém (Ceará)
Matéria-prima: Clínquer
Mercado-Alvo: Região Metropolitana de Fortaleza
Valor do investimento: R$ 45 milhões
Capacidade de produção: 220 mil toneladas/ano
Empregos diretos e indiretos: 305
Início da operação: 2008

Aratu (Bahia)
Matéria-prima: Clínquer
Mercado-alvo: Região Metropolitana de Salvador
Valor do investimento: R$ 50 milhões
Capacidade de produção: 320 mil toneladas/ano
Empregos diretos e indiretos: 310
Início da operação: 2008

Sepetiba (Rio de Janeiro)
Matéria-prima: Clínquer e escória
Mercado-Alvo: Região metropolitana do Rio de Janeiro
Valor do investimento: 150 milhões
Capacidade de produção: 1,5 milhão toneladas/ano
Empregos diretos e indiretos: 240
Início da operação: 2009

Litoral SC (Santa Catarina)
Matéria-prima: Clínquer
Valor do investimento: R$ 40 milhões
Capacidade de produção: 300 mil toneladas/ano
Empregos diretos e indiretos: 180
Início da operação: 2010

Reativação de fábrica (1)

Cocalzinho (Goiás)
Matéria-prima: Clínquer e pozolana
Mercado-alvo: Goiás
Valor do investimento: R$ 50 milhões
Capacidade de produção: 300 mil toneladas/ano
Empregos diretos e indiretos: 180
Reinício da operação: 2008

Expansão de capacidade e eliminação de gargalos de produção (2)

Salto/Santa Helena, em Votorantim (São Paulo)
Matéria-prima: Clínquer
Mercado-Alvo: Região Metropolitana de São Paulo e Vale do Paraíba
Valor do investimento: R$ 155 milhões
Capacidade de produção: 700 mil toneladas/ano
Empregos diretos e indiretos: 120
Conclusão das obras: 2008

Nobres (Mato Grosso)
Matéria-prima: Pozolana
Mercado-Alvo: Centro-Oeste
Valor do investimento: R$ 70 milhões
Capacidade de produção: 330 mil toneladas/ano
Empregos diretos e indiretos: 60
Conclusão das obras: 2008

Argamassas - Novas unidades (5)

Valor do investimento: R$ 100 milhões
Início das operações: 2008
Unidades:
Pecém (Ceará)
Aratu (Bahia)
Goiânia (GO)
Esteio (Rio Grande do Sul)
São Paulo (São Paulo)

Mais informações:

FSB Comunicações
Carolina Stefanini – carolina.stefanini@fsb.com.br
Erica Benute – erica.benute@fsb.com.br
Ana Florence – ana.florence@fsb.com.br

Votorantim Cimentos
Flávio Chantre – (11) 2162-0712 – flavio.chantre@votorantim-cimentos.com.br
Carolina Simonetti– (11) 2162-0732 – carolina.simonetti@votorantim-cimentos.com.br